graca-darzi---mandalas
MANDALAS – UM RECURSO PARA A APROXIMAÇÃO DO SI-MESMO
outubro 6, 2017
graca-darzi---meditacao
A BUSCA DA ATENÇÃO PELA MEDITAÇÃO
novembro 3, 2017

A VIDA E SEUS CICLOS

Adobe_20171020_213512
A vida do ser humano se realiza de forma cíclica. Os gregos e a tradicional medicina chinesa estudavam e observavam as alterações biológicas e espirituais que aconteciam de sete em sete anos na vida das pessoas. É preciso enfatizar também que o número sete está presente em várias culturas e possui bastante poder. A observação dos sete planetas relacionados ao homem (Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno), os sete metais (ouro, prata, mercúrio, cobre, ferro, estanho e chumbo), os sete dias da semana, assim como a bíblia cita que Deus criou o mundo em sete dias.
A antroposofia ou "conhecimento do ser humano"de Rudolf Steiner, teve seu embasamento em que todo ser humano precisava conhecer a si mesmo a fim de compreender o universo, porque todos nós integramos e participamos do mesmo. Dessa forma, surgiu a teoria dos setênios, na qual a vida é dividida em ciclos de sete anos. A cada fase, um novo ciclo também começa com mudanças de muitos aspectos na vida de cada um. A compreensão desses setênios é conscientizar as pessoas sobre as fases que existem para que, através desse conhecimento de tantas mudanças, possam vivenciá-los de forma mais saudável. Cada fase nos traz novos aprendizados e desafios, permitindo nos conhecer melhor e aos outros, sem julgamentos, nos impulsionando ao nosso propósito de vida.
Aqui é muito importante ressaltar que essa teoria foi pensada em uma época onde a expectativa de vida das pessoas era muito pequena e que os indivíduos de sessenta anos eram considerados verdadeiros anciãos. Assim, podemos pensar os ciclos de uma forma metafórica, sem uma relação exata, porque o mundo está em constante evolução e o ser humano vai buscando novas adaptações e espaços.
Podemos pensar nessa teoria não exatamente no tempo cronológico mas pensar de forma sistêmica, no indivíduo de tempos em tempos, afinal não somos aos vinte e um anos os mesmos quando tínhamos dez, e nem aos quarenta anos os mesmos quando tínhamos trinta. Com esse olhar, podemos sentir e compreender a beleza e profundidade desse pensador.
PRIMEIRO SETÊNIO= 0 a 7 anos (O NINHO- INTERCÂMBIO ENTRE O INDIVIDUAL ADORMECIDO E O HEREDITÁRIO)
Aqui o lado espiritual da individualidade e a parte biológica se encontram. Os órgãos físicos estão em formação, nos dando características únicas. Momento de profunda transmutação, no qual a consciência da criança se dá fisicamente e mentalmente, tomando conhecimento de si mesma. Aqui a criança tem que perceber os aspectos positivos do mundo para desejarem estar presentes e almejarem a felicidade a longo prazo. O espaço físico é muito importante, também o espaço do pensar e do viver espiritual.

SEGUNDO SETÊNIO= 7 A 14 ANOS (SENTIDO DE SI, AUTORIDADE DO OUTRO)
Essa é uma fase em que se alicerçam os dentes permanentes. Momento em que o mundo nos encontra, onde grandes forças entram e saem de nós. É um ciclo de muita troca. Pais e professores tem fundamental importância como representação de autoridade, no qual a atitude desses mediadores influenciam como a criança verá o mundo. Autoridade excessiva pode imprimir uma visão pesada e cruel do mundo e se o contrário for sem ressonância, levará a criança a desconhecer seus limites e o do outro. É o sentir que está sendo afetado nesse ciclo, o desenvolvimento das emoções. O ato de brincar é extremamente saudável. A arte deve ser estimulada.

TERCEIRO SETÊNIO= 14 aos 21 anos (PUBERDADE E CRISE DE IDENTIDADE)
Fase de crise de identidade, no qual não se é mais criança e nem adulto, porém almeja-se a liberdade. O mundo se amplia, não está mais restrito a família e escola. Começa a busca por grupos que comunguem seus anseios. Essa tensão costuma gerar rompimentos por vezes violentos, mas são necessários e propícios desse ciclo. Há dificuldades de ouvir o outro e entender suas posições. Aqui, há um forte julgamento de bom e ruim, certo e errado. É um ciclo de tanta energia interna, que o indivíduo pode perder o controle e necessitar de intervenção de um profissional, salvo se os ciclos anteriores tiverem cumprido bem os seus papéis. É o momento de questionar a tudo e a todos.

QUARTO SETÊNIO= 21 a 28 anos (EXPERIMENTAR LIMITES)
Homens e mulheres estão no auge da fertilidade. Fase das sensações e emoções. O trabalho é muito importante para essa fase com muitos questionamentos se escolheu a profissão certa, se esqueceu de aprimorar alguma aptidão. Não atingir os objetivos causa frustrações. Vivencia-se aqui a crise dos talentos. O "Eu" começa a se mostrar, mesmo estando ainda em formação. É uma emancipação em todos os níveis, a história começa a ser realizada pelo próprio indivíduo, no qual não depende mais diretamente das outras instituições. Também de forma espontânea é um ciclo que é muito influenciado pelos outros, sendo que a sociedade imputará o rítmo da vida de cada um. Ter o seu lugar no mundo é o principal objetivo.

QUINTO SETÊNIO= 28 aos 35 anos (FASE ORGANIZACIONAL)
É a famosa "crise dos trinta"onde se traz a angústia e vazio. Surgem profundos questionamentos se está no caminho certo. Momento de busca pelo seu lugar no mundo e muita cobrança pelo sucesso que talvez ainda não tenha atingido. Essas sensações são muito comuns, deixando as pessoas nesse ciclo a não se conhecerem, seja por pressão de si mesmo ou dos outros. Sentimentos de importância nessa transição da juventude para a maturidade, no qual o viver mais impulsivo se volta para um viver mais sério, responsável, voltados para o trabalho, família. Fase de profunda organização que leva a uma abertura espiritual nos levando a perguntar "quem sou eu". Há uma renovação a partir desse ciclo.

SEXTO SETÊNIO= 35 a 42 anos (CRISE DA AUTENTICIDADE)
Aqui o indivíduo traz dúvidas e descontentamento se ainda conseguirá fazer algo novo e interessante. Buscar coisas novas é um exercício importante para esse ciclo. Ainda está ligado ao SETÊNIO anterior, refletindo os resultados das crises. De uma forma geral, aqui já se conquistou uma renda mínima para questões básicas de consumo, abrindo desafios para encontrar valores espirituais e nos reconhecermos como seres únicos, aprofundando para a parte mais sensível de nós. Com maior aprendizado e maturidade, nesse SETÊNIO buscamos a essência de tudo em nós e no outro.
SÉTIMO SETÊNIO= 42 aos 49 anos (ALTRUÍSMOS X MANTER A FASE EXPANSIVA)
Nessa fase, o indivíduo está sedento por novidades, porém as mudanças causam medo. Começam a menopausa e a andropausa. Questionamentos acerca de relacionamento conjugal e filhos ganham grande espaço. Momento de buscar desesperadamente por algo novo para que a vida adquira sentido. Questões existenciais ganham força, e o lema é "como está não dá para ficar". Toda essa dinâmica impulsiona tomadas de decisões desde rompimentos, reconciliações, etc. O medo do envelhecimento aumenta e a necessidade de se fazer coisas que os jovens fazem. Retorna com importância crucial a sexualidade, mas a força que se perde com o seu declínio, pode e deve ser empregado em outros nichos.

OITAVO SETÊNIO= 49 aos 56 anos (OUVIR O MUNDO)
Surgem questões "Como está meu rítmo de vida?", "O que posso cortar da minha vida para que o novo possa surgir?". Aqui a energia é voltada para a moral, ética, questões universais e humanísticas. Está é uma fase onde a "audição fica diferente ", despertando em nós o existencialismo para observarmos mais de perto o valor simbólico das coisas. É um momento propício para reconhecermos a nossa história, aceitando-a sem julgamento. Temos aqui maior possibilidade de ouvir a voz do coração para uma renovação ético/moral.

NONO SETÊNIO= 56 aos 63 anos (ABNEGAÇÃO E SABEDORIA)
É a fase da intuição. Mudança significativa na maneira como se relaciona consigo mesmo e com o mundo. Período importante para estimular o cérebro almejando melhor funcionamento. Período com maior dificuldade na comunicação com o exterior, maior reclusão, onde a busca por auto conhecimento depende dessa maior introspecção. Este afastamento traz aprimoramento da espiritualidade. O interno passa a fazer muito mais sentido que o externo. A reclusão passa a ser algo natural, ótima para a auto reflexão e a busca pela essência.

DÉCIMO SETÊNIO= 63 aos 70 anos em diante
É a fase do mestre. A luz está na alma do indivíduo e irradia. A luz brilha somente quando estão boas a saúde física e mental.

Todo este processo demonstra que nossa mente apresenta diferentes estágios de aprendizado e nossa espiritualidade acompanha mais ou menos aberta conforme cada estágio, cada consciência. Dessa forma, torna-se impossível pensar na vida do ser humano de forma linear e homogênea.
Compreender esses ciclos pelos quais passamos, traz maior tranquilidade para aceitar pontos de fragilidade e trabalhar para melhorarmos, desde que o indivíduo queira aprender mais sobre sua existência e sobre seu corpo.

Atendimento Psícológico

Atendemos adultos, idosos e adolescentes. Para mais informações ligue: 11 3054-9488

1 Comentário

  1. Eunice disse:

    Amei o artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *