NEUROPLASTICIDADE CEREBRAL E EMOCIONAL

graca-darzi---layout-novo---as-leis-do-amor
AS LEIS DO AMOR NO SISTEMA FAMILIAR
março 2, 2018
graca_darzi-psicopatia
PSICOPATIA: DOENÇA MENTAL OU TRANSTORNO DE PERSONALIDADE?
junho 1, 2018

NEUROPLASTICIDADE CEREBRAL E EMOCIONAL

neuroplasticidade
O ser humano tem sempre a possibilidade de escolhas. Podemos considerar que diante de situações traumáticas e limitantes sejam físicas e/ou emocionais, nada mais podemos fazer, a fé se esvai e nos vemos diante do nada. Contudo. o sofrimento nos impulsiona a confrontá-lo revendo crenças, ressignificando padrões para servir ao Self, ao si-mesmo, nos engajando no caminho do auto-conhecimento no processo de individuação.
A palavra emoção deriva das palavras latinas ex + movére que significam "mover para fora". Podemos portanto estar parados mas existe uma energia psíquica em movimento, necessitando entrar em contato com a consciência para sinalizar novos movimentos em nossos corações. Para Jung, a energia psíquica é energia como um todo, tanto para atividades intelectuais como motoras. É a energia que temos para investir nas ações do nosso cotidiano e também disponível para nossos sonhos, para o nosso inconsciente. Jung refere-se a uma quantidade de energia psíquica que possuímos e a utilizamos ou investimos essa ao longo do nosso dia distribuindo em nossas ações físicas, pensamentos, sentimentos, trabalho, estudo e outros. Assim, gastamos essa energia e temos que recarregá-la dormindo. Contudo, os complexos que são palavras, imagens carregadas de emoção, podem paralisar uma quantidade dessa energia, acumulando e impedindo a sua eficaz distribuição ficando assim no inconsciente, e o "eu" tem pouca mobilidade para fazer o que necessita ou deseja.
Quando nascemos, trazemos como um grande presente da natureza 86 milhões de neurônios que vamos perdendo e trocando ao longo da nossa vida. De forma espetacular, tanto o corpo físico e o cérebro possuem formas surpreendentes de se rearranjarem. Essa plasticidade é inerente ao ser humano. Em acidentes como um AVC, ou privações auditivas, visuais e emocionais, a interferência nesse processo feito de maneira positiva, despertará novas emoções e consciência no coração do indivíduo. Essa nova expressão reorganiza a energia psíquica, produzindo uma nova manifestação, contribuindo para que o indivíduo construa novas pontes e memórias onde os exercícios, as novidades, a prática, o prazer, o fazer diferente, a permissão, a emoção de querer mudar, de querer se modificar, aprender, estarão presentes. A energia psíquica que estava alí inconsciente e inacessível, agora sintonizada, torna-se consciente e praticada de dentro para fora, criando o que podemos chamar de plasticidade cerebral ou plasticidade emocional.
A capacidade para aprender, para fazer coisas de um modo diferente, pode ser feito em todos os momentos. Se o indivíduo identificar sinais importantes do seu processo, mesmo considerendo fatores biogenéticos, hereditários e ambientais, ele poderá mudar o seu caminho. Dessa forma, mesmo com todas as adversidades possíveis, podemos por meio das emoções de algo que nos toca, promover mudanças, desenvolvendo-nos da melhor maneira possível, dando atenção às novas possibilidades das quais nunca percebemos, como consequência impulsionamos aspectos emocionais, cognitivos, sociais e principalmente a interelação com o outro. A emoção manifestada é a arte que pode aliviar a dor e transcender parte da mesma.

Atendimento Psícológico

Atendemos adultos, idosos e adolescentes. Para mais informações ligue: 11 3054-9488

1 Comentário

  1. RitaRezende disse:

    Eu tenho fé que vou conseguir dominar esse negativismo…gostei da leitura …faz sentido…dificil é aprender a dominar a se propio…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *