SINCRONICIDADE OU SIMPLES COINCIDÊNCIA?

rps20161014_170703
Bulling – A dor do coração
outubro 14, 2016
graca-darzi---ressignificando-a-morte
Ressignificando a Morte – Graça Braga Darzi Consultório de Psicologia.
outubro 28, 2016

SINCRONICIDADE OU SIMPLES COINCIDÊNCIA?

sincronicidadejung
Podemos dizer que o inconsciente nos atravessa o tempo todo e que a sincronicidade é uma prova disso. Dessa forma, ela se define por uma coincidência significativa entre eventos psíquicos e físicos que aparentemente não estabelecem uma correlação de causa e efeito entre si, mas que caminham de forma paralela, e que por motivações inconscientes, não possuímos uma compreensão clara. Assim, eles se cruzam, acabando por estabelecer nesse momento um novo sentido, um novo significado.
A sincronicidade se difere de uma simples coincidência, justamente por essa não tocar a alma, não apresentar um significado que nos convoque a algo que seja um diferenciador. Na expressão do inconsciente, a sincronicidade gera uma mobilização de uma forma tal que se torna inegável que aquilo ou o evento representa algo a mais, tornando a experiência extremamente rica.
Um sonho, por exemplo, com alguém que não se vê há anos, reflete-se na manhã seguinte ou dias depois, em um telefonema ou encontro inusitado. Não existe qualquer conexão causal conhecida entre o sonho e a ligação ou encontro. Tais coincidências significativas geram imagens psíquicas e, por outro lado, eventos físicos. As duas situações ocorrem aproximadamente ao mesmo tempo, e a ligação entre elas não é causal.
A sincronicidade parece ter uma ligação considerável com nossa afetividade, ou seja; sensibilidade à estímulos emocionais, capazes de promover algum tipo de alteração. Quanto mais disponível ou receptível uma pessoa está para um evento sincronístico, mais tende a perceber e a recebê-lo também.
Tal fato nos leva a considerar que por mais impossível que tudo isso possa nos parecer, somos de certa forma, levados a admitir a existência no inconsciente de algo, ou uma relação de situações que não apresentam qualquer base causal. Para ilustrar: A pessoa que sonhou com alguém que não via há anos, sempre soube que a encontraria, só que não sabia que sabia, porque na verdade não existe tempo nem espaço para o grande self que é a representação da unidade dos sistemas consciente e inconsciente, funcionando ao mesmo tempo como centro regulador da totalidade da personalidade.
Percebemos então algo impressionante na mente psíquica, ou seja; a capacidade de ter um relacionamento tão extraordinário com o mundo físico.
Nós seres humanos temos um papel especial a desempenhar no universo. No inconsciente coletivo ou da humanidade, somos todos um. Somos um só mundo onde todos estamos interconectados. Além disso, temos um sentido maior nos atraindo. Sabemos tudo, não apenas o que fazemos, mas o que pensamos e o que somos. O inconsciente tudo sabe e tudo vê. Assim, é capaz de refletir o Cosmo e de reproduzí-lo no espelho da consciência. Cada ser humano pode testemunhar seu processo prestando atenção à imagem e à sincronicidade.
Tal situação nos revela a não causalidade dessa condição, pois o que é nos apresentado como acaso, surge das fontes mais profundas do inconsciente. Por isso já aconteceu com todas as pessoas. Passamos por situações nas quais aconteciam coincidências significativas tão prováveis que pareciam mágica, como se existissem conexões entre os fatos.
Como tal, aquela dúvida profunda sobre uma situação em que você pensa em falar com alguém e esse alguém quem te liga, ou você quem a encontrou no meio do nada de forma inesperada, exatamente a pessoa que precisava, provocando um profundo impacto. Isso não é casualidade, coincidência, e sim sincronicidade, uma coincidência significativa, um dos aspectos mais enigmáticos e surpreendentes do universo, essa simultaneidade de dois acontecimentos interiores e exteriores, de um modo que não é possível explicar, mas que tem certo sentido para a pessoa.
Uma experiência sincronística pode estar presente em pequenas situações, conversas, encontros. Costuma acontecer quando menos esperamos, porém no momento exato, muitas vezes mudando a direção de nossas vidas e influenciando em nossos pensamentos. Mesmo sendo uma lei universal, sem causa e efeito direto, não tem como ser provada, porém sua manifestação já guiou a vida de muitas pessoas, sem nem pensar.
Enquanto mantivermos uma atitude receptiva e aberta, nos deixando levar por nossa sabedoria interior, nos abriremos para a magia que nos oferece a experiência da sincronicidade.
Se soubermos escutá-la, poderá se tornar um excelente guia para nossas vidas.

Atendimento Psícológico

Atendemos adultos, idosos e adolescentes. Para mais informações ligue: 11 3054-9488

1 Comentário

  1. vilmapereirasonnewend@gmail.com disse:

    Aprendi a duras penas,ao ler esse artigo novamente depois de meses “Se soube-se escutar realmente seria um divisor de àguas na vida .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *